terça-feira, 25 de março de 2014

Grupo Americanflex anuncia entrada no franchising

Indústria de colchões, com faturamento anual superior a R$ 100 milhões, planeja estar em 10 cidades até o final do ano

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 2,3% em 2013, enquanto franchising chegou à marca de 12%. Este número demonstra o potencial do setor e oferece possibilidades de desenvolvimento ao varejo. Essa tendência chama a atenção até mesmo de indústrias, como o Grupo Americanflex, que acaba de estrear no franchising.  O anúncio oficial foi realizado em março.

Para a consolidação do projeto, foi investido mais de R$ 2 milhões. As lojas, que terão layout diferenciado e alto padrão, vão oferecer todos os produtos da marca como colchões de molas e espuma, camas box, cabeceiras, travesseiros, enxovais, essências e demais assessórios. A marca Americanflex faz parte do segmento de Casa e Construção, que segundo estatísticas da Associação Brasileira de Franchising (ABF) cresceu 14,3% no último ano.

Jane Jardini, diretora do Grupo, salienta que a empresa já está consolidada e que chegou o momento de expandir os negócios. “Estamos no mercado de colchões há 55 anos e depois de um estudo apurado e de planejamento estratégico, decidimos apostar no franchising, que segue em posição de destaque na economia brasileira e chama a atenção de empresas de diversos segmentos”, acrescenta.

As lojas modelo da franquia já estão em funcionamento em Ribeirão Preto (SP), no shopping Santa Úrsula e na cidade de Marília (SP), loja de rua, os dois modelos disponíveis para negociação. “Esse é o primeiro passo para o início da concretização efetiva do processo. A partir desses modelos poderemos iniciar a comercialização das franquias e expandir ainda mais a marca e as lojas Americanflex”, afirma Saulo Luís Ferreira, consultor de lojas exclusivas do Grupo Americanflex.

A previsão da marca é que com a entrada no franchising as vendas tenham aumento de até 30% ao final de dois anos de expansão.

Diferencial da loja

A experiência de compra é decisiva para o consumidor, por isso a Americanflex tem um conceito de loja diferenciado, que possibilita maior conhecimento do produto. O cliente tem a possibilidade de degustar os colchões e escolher qual deles mais se adapta ao seu perfil. “O contato com o produto é fundamental para diferenciar um colchão do outro e conhecer as características de cada um”, afirma Jane.

Os consultores das lojas são profissionais treinados e especializados para tirar todas as dúvidas dos consumidores a respeito dos produtos.  Eles orientam sobre o colchão ideal para cada pessoa, levando em consideração informações pessoais.  


Raio-X Americanflex Franchising

Segmento que atua: Móveis, Decoração e Presentes

Entrada do Franchising: 2014

Número de unidades em funcionamento: 10 lojas próprias

Modelos de Negócio: lojas de shopping e lojas de Rua

Área mínima das unidades: 90m²

Taxa de franquia: 20 mil

Capital de giro: 75 mil

Taxa de publicidade: 2% sobre faturamento bruto

Nº de funcionários por unidade: de 2 a 3 funcionários

Faturamento bruto: R$ 100 mil

Faturamento médio: R$  80 mil

Prazo de retorno: 36 meses

Cidades foco da expansão: Regiões Sudeste, Sul, Centro Oeste, Nordeste

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

HOPE Lingerie foca na expansão da marca e prevê a abertura de 50 lojas em 2013

Enviado em 29/01/2013 às 14:57:08

Com crescimento de 35% em número de franquias em 2012, a rede HOPE Lingerie espera superar essa marca com a abertura de 50 unidades até o final de 2013. O foco das novas lojas é atingir as regiões Sul e Norte do país. Atualmente, a marca possui 115 lojas, sete delas no exterior: duas em Portugal, duas em Israel e três na Argentina.
“O ano passado foi de muitas conquistas para a empresa. Estamos cada vez mais consolidados no país”, diz Sylvio Korytowski, diretor de expansão da HOPE, que tem 46 anos de história no segmento de lingerie.

Nos últimos sete anos, a marca tem investido no sistema de franchising, com adequação de suas coleções e modernização de lojas, deixando o ambiente acolhedor e feminino. Produtos de moda praia, cosméticos, pijamas e camisolas também ganharam mais destaque.

O marketing agressivo da HOPE também contribuiu para tornar a marca mais conhecida e valorizada pelas consumidoras. “Em 2012 fizemos muitas ações de marketing dentro das lojas, promoções e posicionamos a marca para uma mulher brasileira antenada em moda, beleza e bem-estar”, diz a gerente de marketing, Veronica Wolff. Atualmente a garota-propaganda da HOPE é a atriz Juliana Paes.
Em 2012 novos projetos foram colocados em prática. A marca inaugurou uma flagship de 200m² na Oscar Freire, tradicional rua da capital paulista conhecida pela grande concentração de grifes. “O espaço ficou muito interessante como negócio. Queremos abrir mais cinco lojas-conceito com o mesmo modelo”, diz Korytowski.

Também tiveram início no ano passado os espaços HOPE Sob Medida, ambientes exclusivos da HOPE dentro de lojas multimarcas. Com 100 espaços já implantados, a meta é chegar a 300 HOPE Sob Medida até o final do ano.

O objetivo do novo projeto é viabilizar e potencializar a marca, em cidades onde o sistema de franchising em função do número de habitantes, economia, entre outros fatores, não se mostra viável.
Além das lojas de marca própria, a empresa também atua no comércio eletrônico e distribui para varejos multimarcas no Brasil e no exterior.

:: Conheça outras franquias de vestuário

terça-feira, 20 de março de 2012

FRANCHISING NORDESTE

A PRIMEIRA EDIÇÃO DA FEIRA FRANCHISING NORDESTE EDIÇÃO SALVADOR MARCA O INICIO DE UMA MELHOR APROXIMAÇÃO ENTRE FRANQUEADORES NACIONAIS E FRANQUEADOS BAIANOS.

1FRANQUIA Com um público muito qualificado os expositores presentes a maioria ainda sem unidades em Salvador como é o caso da Chiquinho Sorvetes (FOTO) puderam iniciar as negociações para a formação de parcerias.

Durante os três dias de realização a Feira Franchising Nordeste registrou um movimento de empreendedores interessados em abrir uma franquia principalmente em Salvador. Empresas como Doctor Feet; Chiquinho Sorvetes; Roval Farmácias de Manipulação; Belle Bijou; Infogenius; Kustomize; Pink Lou e a Someday ainda não possui unidades na cidade e puderam conversar com potenciais investidores locais.

Também tiveram presentes empresas originarias da Bahia como a Daducha; Use Shoes e a Mito Culture Club que aumentaram sua visibilidade no mercado nacional de franquias ao participar do evento.

Complementando o mix de exposição do evento, que teve o importante apoio local do SEBRAE empresas como a CACAU SHOW; DATELLI, CAZO, DIVINO FOGÃO; PREPARA CURSOS, TIP TOP e as consultorias HM VAREJO E FRANCHISING de Recife e a US FRANCHISING de São Paulo proporcionaram oportunidades para quem visitou o evento desmistificando os processos necessários para a formação de parcerias.

A Revista FRANQUIA responsável pela edição do Guia da feira também marcou presença e logo será disponibilizada uma reportagem eletrônica aqui no site sobre a edição baiana da primeira Franchising Nordeste.

Em abril tem mais. Participe da edição Cearense da Franchising Nordeste. Ainda tem espaço. Até lá.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Franquias comemoram expansão e destacam potencial do Nordeste

O setor de franquias no Brasil comemora a expansão do setor que fechou o ano de 2010 com um faturamento de R$ 75,9 bilhões, o que representou um crescimento de 20,4% em relação a 2009, segundo estudo realizado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). A previsão da ABF para este ano é que o segmento registre um avanço aproximado de 15%.

Com expectativa de levantamento recorde de R$ 300 milhões, a ABF Franchising, maior feira de negócios da América Latina, encerrou a sua 20ª edição com 420 expositores interessados em expandir seus negócios. O evento aconteceu em São Paulo, de 8 a 11 de junho.

NE é potencial

O Nordeste aparece como mercado em potencial para a difusão do mercado. Segundo Ricardo Bomeny, diretor presidente da ABF, a região vive cenário econômico diferenciado, com mais shoppings e o poder aquisitivo da população aumentado. "O mercado da região vem crescendo muito", acentua.

O segmento de alimentação, segundo a ABF, foi a franquia que mais faturou, com participação de 39,9% no montante de 2010. Na feira, o setor teve presença forte, com marcas que já possuem franquias consolidadas em cidades cearenses como Bob´s, Habib´s e Cacau Show. Outros grupos voltam os olhos para o mercado local, como é o caso do Seletti, empresa especializada em culinária saudável, que prospecta, até o fim desse ano, a abertura de um restaurante em Fortaleza. O diretor e idealizador da empresa, Luís Felipe Campos, afirma que o mercado está em constante ascensão, com grande parte da população ativa comendo fora de casa.

Educação

Outro destaque na ABF Expo 2011 foras as escolas de idioma. Impulsionadas pela expansão do poder aquisitivo da classe C e da proximidade da Copa do Mundo de 2014, os cursos de línguas tiveram forte expressão na feira. Ricardo Leal, diretor-presidente da escola de idiomas InFlux reforça a ideia de expandir sua marca para as cidades-sede da Copa, dentre elas Fortaleza. Para ele, o setor é extremamente vantajoso por oferecer baixos riscos e retorno relativamente rápido. Ele afirma que a deficiência do ensino de inglês no Brasil, a queda do dólar, que faz com que o brasileiro viaje mais para fora, dão segurança para a expansão em franquias.

Outros grupos presentes no evento já são consolidados na capital cearense, como Fisk e PBF. De acordo com Fernando Lobo, diretor de franquias da Fundação Fisk (que compreende também a PBF), cidades como Fortaleza são alvo de estratégias de expansão. A expectativa da fundação é faturar, neste ano R$ 900 milhões, diante dos R$ 700 mi apurados em 2010.

Diário do Nordeste

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Empresária do Ceará fatura com franquia de produtos Disney

Rede começou na região Nordeste e planeja agora expansão no Sul e Sudeste

Da Agência Sebrae de Notícias

CEAR-M~1 O setor de franquias cresce a cada ano e vem conquistando todas as regiões do país, em especial a Nordeste. Já faz algum tempo que franqueadores das mais diferentes marcas têm mirado a região como foco para a expansão e o crescimento. Não é à toa: o Nordeste cresceu 36,6% na última década (2000/2009) e seu Produto Interno Bruto (PIB) alcançou os R$ 413,6 bilhões, segundo o Banco do Nordeste.

Além de ser grande consumidor de franquias, a região vem exportando também empresas franqueadoras. Uma delas é a Fantasia, que está abrindo quiosques com um mix de produtos Disney, grande parte deles exclusivos. A empresa, criada pela cearense Danielle Lyra, já tem dois quiosques, um em Fortaleza e outro em Salvador, e abriu um escritório em São Paulo.

“Temos uma parceria muito forte com o Disney Institute. Eles nos ajudaram a compor nosso modelo de negócio. Testamos durante um ano e meio este modelo nos quiosques do Nordeste e vimos que ele é um negócio de sucesso. Agora vamos partir para todo o país”, planeja a empresária.

A franquia oferece um portfólio com mais de mil itens licenciados pela marca, com preços que variam de R$ 3 a R$ 500. “Uma parte desses produtos é exclusividade. Além de todo o treinamento no Brasil, o franqueado terá a oportunidade de fazer um curso no Disney Institute, em Orlando”.
Segundo Danielle, até o final do ano a rede irá abrir 25 quiosques em shoppings centers do país. O objetivo é chegar ao final do ano que vem com 100 quiosques, e oferecer exclusividade em 85% dos produtos.

O investimento para abrir uma unidade é de R$ 156 mil, incluindo taxa de franquia e instalação do quiosque, mais R$ 30 mil de capital de giro. O retorno é previsto em 18 meses e o faturamento médio mensal é de aproximadamente R$ 48 mil.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

44 quiosques de franquias para você investir

Clique na tabela abaixo e conheça as opções

Redação PEGN